Available in: English | Français | Português | Español |

Membros da equipe do Movimento de Lausanne de todas as partes do mundo compartilham como preservam seu tempo sabático ou de descanso diário, semanal ou sazonal.

Seja no Paquistão ou na Hungria, no Quênia ou nos Estados Unidos, o descanso sabático não é algo muito fácil para a maioria de nós. Somos pessoas comuns e líderes ocupados, vivendo tempos de crise e de mudança, tendo como pano de fundo um mundo em sofrimento. Alguns de nós estiveram à beira do esgotamento crônico e perceberam que é preciso encontrar uma forma de dar mudar de atitude; outros estão lentamente moldando sua vida no ritmo do descanso.

Esperamos que, ao ler sobre nossas pequenas práticas, nossas lutas e sábias dicas, você também seja encorajado a desfrutar da alegria e da dádiva que é descansar no Senhor.

As primeiras seções são histórias mais longas a respeito do descanso sabático. No final do artigo, você encontrará uma lista com as práticas diárias e semanais de nossa equipe, bem como outros recursos.

Problemas de saúde levam a três mudanças em relação ao descanso sabático

“Em 2009, uma grave ocorrência de angina de peito foi o primeiro alarme de uma condição de enfraquecimento cardíaco atribuída principalmente ao estresse ministerial. Então, em 2018, passei por um longo período de sete meses de depressão, o qual passei a descrever como uma “noite escura da minha alma”. Portanto, minha disciplina saudável de descanso sabático só começou a surgir de fato em 2019.

o Senhor me levou a uma mudança prática da rotina da minha lista de tarefas diárias para os ritmos semanais reflexivos dos papéis significativos que eu desempenhava

Primeiramente, fiquei impressionado com os textos de Pete Scazzero, segundo os quais há, no registro dos Dez Mandamentos em Êxodo 20, mais versículos sobre o dia de sábado do que sobre todos os outros temas. No campo devocional, essa perspectiva mudou minha compreensão de como o descanso sabático pode se aplicar à forma como eu adoro, dependo e encontro minha satisfação em Deus, bem como torno-me semelhante a ele: foi uma significativa renovação de mente da qual eu realmente estava precisando.

Em segundo lugar, o Senhor me levou a uma mudança prática da rotina da minha lista de tarefas diárias para os ritmos semanais reflexivos dos papéis significativos que eu desempenhava. Foi a primeira vez que pude ter um dia de descanso semanal e ainda cumprir as prioridades básicas. Hábitos novos e transformadores estão se formando a partir da minha mudança de uma perspectiva diária para uma perspectiva semanal.

Em terceiro lugar, o aprendizado transcultural com amigos da família Lausanne fortaleceu meu novo aprendizado sobre o dia de sábado. Hoje entendo melhor que feriados são dias santos e que as pausas anuais de descanso são renovadoras”.

Nana Yaw Offei Awuku (Gana), Diretor associado global para gerações

Amar os outros de forma sacrifical vs. descansar no Senhor

“Vivemos um momento incomum, em que amigos muito próximos enfrentam problemas de saúde que afetam a vida de toda a família. No mês passado, eu (e minha família) passamos muitas horas cuidando de crianças, ajudando pessoas enfermas em hospitais, mobilizando guerreiros de oração e organizando a logística. Se possível, eu faria isso e muito mais com alegria. As virtudes bíblicas do amor sacrificial e da misericórdia me tocam profundamente.

O descanso sabático é necessário, mesmo que isso signifique dizer “não” a boas oportunidades e necessidades importantes.

Mas agora, à medida que a crise imediata se torna uma situação de longo prazo, eu me sinto tão esgotada, sobrecarregada e envolvida que o descanso sabático praticamente desapareceu. Preciso encarar com seriedade o que sei ser verdade, mas tenho dificuldade em agir de acordo: não posso continuar ajudando indefinidamente se estiver vazia. O descanso sabático é necessário, mesmo que isso signifique dizer “não” a boas oportunidades e necessidades importantes.

Percebo que, de forma ativa e específica, preciso escolher confiar que nosso Deus é grande o suficiente para suprir as necessidades dos meus queridos amigos durante este período, independentemente do meu grau de envolvimento. Embora minha ajuda tenha sido prática e significativa, não posso ser, no fim das contas, a solução final do problema dos meus amigos. Ainda posso ser útil, uma amiga querida que caminha com eles nessa nova jornada, mas também preciso administrar com fidelidade os relacionamentos e obrigações que Deus já me deu. Não poderei fazer isso se não tiver tempo, uma conexão saudável com o Senhor e descanso para minha própria alma.

Encontrar o equilíbrio entre derramar-se em amor e ser sábio/fiel é difícil, algo pelo que hoje luto intensamente. Jesus é certamente um exemplo perfeito – supria uma multidão de necessidades, mas recuava para descansar e conectar-se com seu Pai. Algo particularmente repousante para mim neste momento tem sido entregar-me em momentos de louvor e oração, atestando a soberania, o poder e o cuidado pessoal de Deus para todas as pessoas envolvidas nessa situação, e declarando que Jesus está acima das necessidades e dores desta vida”.

Amy Hurst (US), Assistente de desenvolvimento

Preservando o descanso de uma jovem mãe e profissional

“Para uma jovem mãe e profissional que faz malabarismos com a rotina de cuidados do bebê, o trabalho e as tarefas domésticas, descansar pode ser impossível. Por essa razão, condicionei-me a dormir quando o bebê dorme, aceitar ajuda quando oferecem e pedir ajuda quando preciso descansar. Agora sei que não é problema algum recusar visitas, responsabilidades extras e convites até que eu me sinta pronta, para que eu possa criar um tempo de descanso sem me preocupar com o que precisa ser feito. Tenho aprendido a manter distância do telefone. Isso me permite controlar o que penso quando descanso. Também é importante comunicar suas intenções ao parceiro ou às pessoas com quem você vive, bem como o período de tempo de descanso que você precisa”.

Donnah Odera (Quênia), Coordenadora de projetos YLGen

Estratégias para vencer a luta do descanso sabático

“Infelizmente, o descanso sabático é uma luta contínua. Eu diria que é uma consequência do tempo em que vivemos, mas a frequência das repreensões bíblicas a quem não guarda o sábado sugere que essa batalha é antiga. Para a maioria de nós, o sábado é algo com que estamos comprometidos mais na teoria do que na prática, e nosso desejo pelo descanso sabático é maior do que nossa capacidade de desfrutá-lo. Parece que nosso pleno descanso no Senhor virá somente após o retorno final e a completa superação do estado decaído da humanidade. Dito isso, da mesma forma como não cedemos ao pecado em geral, vale a pena lutar pelo sábado!

Vejo o descanso como uma forma de adoração, pois confio que o Senhor pode fazer mais do que posso fazer.

Descobri que posso vencer essa batalha quando:

  • Planejo primeiro meu sábado e depois o meu trabalho em torno dele.
  • Encontro ritmos eficazes e recorrentes.
  • Vejo o descanso como uma forma de adoração, pois confio que o Senhor pode fazer mais do que posso fazer.
  • Descanso mais no Seu chamado para mim do que no meu trabalho para ele.
  • Informo outras pessoas sobre meus momentos de descanso e mantenho uma mútua prestação de contas”.

Jurie Kriel (US), Colíder da Equipe Neemias para Lausanne4

Estar atento ao momento

“Estar presente e viver/desfrutar do momento é o que tento praticar todos os dias. Há uma infinidade de oportunidades: quando ouço o riso da minha filha, vejo-a explorar ou aprecio suas vívidas expressões faciais. Quando me sento em nosso quintal com uma xícara de chá e escuto o canto dos pássaros, sinto a brisa fresca no rosto, vejo minhas flores desabrocharem e meu jardim crescer. Quando tenho uma palavra de consolo a um amigo que sofre, posso estender alguma ajuda ao necessitado ou simplesmente sentar-me com alguém no silêncio de sua dor.

Estar presente, disponível, aberta, vulnerável – creio que seja isso que Deus quer de mim e o que me ajuda a ser revigorada e fortalecida”.

Svetlana Stepanenko (EUA/Bielorrússia), Gerente de tradução e localização

O sábado no contexto do sofrimento do mundo

“O descanso sabático é o descanso na presença de Deus; é conhecer sua essência, como sua misericórdia incessante e seu amor infalível. Durante minhas caminhadas matinais diárias, enquanto medito na Palavra de Deus, encontro esse descanso e me sinto revigorada – física, mental, emocional e espiritualmente – ao reconhecer a bondade de Deus no nascer do sol da alvorada, no canto dos primeiros pássaros da manhã e no desabrochar das flores da primavera.

Recentemente, contudo, tenho me afligido com aqueles que sofrem devido a guerras, enfermidades, crimes e outras injustiças. Será que eles conseguem encontrar descanso sabático mesmo em meio a tanta dor? No Salmo 23, além de desfrutar de pastagens verdes e águas tranquilas, o salmista também passa pelo mais escuro vale. Mesmo assim, ele responde com confiança: ‘Não temerei perigo algum, pois tu estás comigo; a tua vara e o teu cajado me protegem’”.

Loun Ling Lee (UK), Editora da Análise Global de Lausanne

Maná para os tempos difíceis

“Durante o período de lockdown, minha família pôde desfrutar do sábado como nunca havíamos sonhado antes: refeições preparadas no dia anterior; nada de telas; culto em família; quebra-cabeças e jogos de tabuleiro; caminhadas pelas trilhas sinuosas entre as plantações de arroz.

Então experimentamos perda, confusão e trauma. Tenho tentado reaprender o que significa descansar, o que é o dia de sábado. Ora, apenas para me sentir bem. A única coisa que eu sabia fazer era retornar por onde vim: peguei o breviário de um convento episcopal em que muitas vezes encontrei refúgio, décadas atrás. E li as orações matinais em voz alta. Li diurnum, vésperas, completas. Não lia – e não leio – esses cultos diariamente. Todos os dias, talvez uma liturgia cruze meus lábios. Mas seguro esse livro; leio essas orações, esses salmos e textos bíblicos. Coloco essas palavras na minha língua, abertamente humana, desesperada, e na comunhão dos santos.

Em meio a um trauma excruciante, elas descansaram, de acordo com o mandamento. Descansaram na Palavra.

Esse processo — de passar dos meses de deleite sabático para o retorno pelo caminho percorrido por meio da prática espiritual anterior — tem uma linhagem sagrada. Penso nos discípulos, particularmente nas mulheres, discípulas que viajaram com Jesus. Elas tiveram novas experiências de descanso sabático na presença de Deus. Andaram com Jesus por aquelas estradas que serpenteavam entre os campos. Então Jesus foi morto: houve perda, confusão e trauma. E logo chegou o dia do sábado: “As mulheres que haviam acompanhado Jesus desde a Galileia, seguiram José e viram o sepulcro, e como o corpo de Jesus fora colocado nele. Então, foram para casa e prepararam perfumes e especiarias aromáticas. E descansaram no sábado, em obediência ao mandamento” (Lucas 23.55-56 NVI).

As mulheres fizeram o que sabiam fazer. Em meio a um trauma excruciante, elas descansaram, de acordo com o mandamento. Descansaram na Palavra. O que será que ouviram do Senhor naquele sábado em especial? Mas teriam recitado as orações e as escrituras conhecidas. Aquelas antigas palavras as havia ensinado a serem humanas – e santas – durante todos aqueles anos. Aquelas palavras estavam em suas línguas como o maná no dia mais difícil. Por isso saboreio o maná do breviário e descanso em Deus nesses dias. É o que sei fazer”.

Darcy Luetzow Staddon (EUA/Japão), Assistente executiva do diretor executivo global

Rotinas diárias e semanais

  • “Todos os dias, acordo cedo e tenho uma hora de leitura da Bíblia, anotações no diário, devocional e oração. Com isso mantenho meu foco e ouço o Senhor ao longo do dia. No meu dia de folga, deixo de lado todo o trabalho eletrônico, incluindo e-mail, computador, textos, tarefas etc., e faço algo que gosto de fazer, como andar de bicicleta, visitar um mercado de pulgas ou trabalhar no jardim”. – Brent Burdick (EUA), Diretor da Lausanne Global Classroom
  • “O descanso do serviço na igreja e da comunidade é algo inegociável em nossa família. Durante a semana, acho proveitoso começar o dia lendo a Bíblia e orando com a ajuda de diferentes recursos, como os livros de estudo SheReadsTruth ou Precept. E as caminhadas diárias no parque ou próximo à água ajudam a dar continuidade à conversa com o Senhor”. – Anna Chviedaruk (Bielorrússia), Gerente de Operações
  • “O que fazemos de mais importante para preservar nosso tempo sabático é desligar a tecnologia durante o dia. Isso nos permite focar os relacionamentos e descansar (oba, cochilos!) e nos liberta da tentação contínua de sermos atraídos para o trabalho ou para as redes sociais”. – Justin Schell (EUA), Diretor de projetos executivos
  • “Além do papel que desempenho no Movimento de Lausanne, também pastoreio uma igreja. Decidi que a segunda-feira seria meu dia de descanso. Mesmo sendo extrovertido, depois de uma semana de reuniões no Zoom e de um domingo agitado, eu realmente preciso de um tempo para recarregar as energias, sem nenhuma interação humana fora da minha família. Não agendo reuniões presenciais ou virtuais para as segundas-feiras e configurei meu telefone para não receber ligações, mensagens ou notificações nesse dia. Minha esposa é a única exceção”. – Attila Nyari (Hungria), Chefe de Gabinete
  • “Muitas vezes, o descanso sabático com crianças pequenas pode ser mais um sonho do que uma realidade. Nos meus primeiros dias com os pequenos, fiz um compromisso comigo mesma – passar algum tempo correndo ao ar livre, diariamente. Foi durante a corrida que, muitas vezes, me senti mais próxima de Deus. No entanto, com pequenos seres humanos para cuidar, eu não sabia bem como tornar essa prioridade uma realidade. O despertador toca logo cedo – 4h30 – mas vale a pena sacrificar uma hora de sono. Esse compromisso tornou-se meu refúgio, meu descanso, meu refrigério. As orações se tornam um longo diálogo com o Senhor a cada milha que passa. Nas épocas mais movimentadas, sempre posso contar com minhas corridas para me proporcionar descanso e refrigério e por isso sou muito, muito grata”. – Sarah White (EUA), Diretora de operações
  • “[No sábado], eu geralmente durmo até mais tarde. Tento me manter longe do telefone e do computador. Depois do café da manhã, costumo me sentar sozinho e meditar, algo que me acalma e me ajuda a pensar com clareza. Ler as Escrituras ou algum outro livro é minha parte favorita do dia. Cozinho para minha família ou os levo para alguma atividade recreativa. Mais tarde, visito meus amigos e juntos cantamos e oramos. Essas atividades não fazem parte da minha rotina diária, por isso, no sábado, fazê-las me dá energia e uma nova perspectiva para toda a semana seguinte”. – Yaksan Azam (Paquistão), Gerente de conteúdo on-line e editor de vídeo da Global Classroom.
  • “Desde o início de nosso casamento, minha esposa e eu escolhemos um dia da semana para deixar o trabalho regular de lado e nos concentrar no tempo um com o outro e com o Senhor, fazendo o que nos revigora, mudando o ritmo, deixando de lado nosso trabalho normal e, geralmente, incluindo tempo para desfrutar da criação de Deus. Ao longo dos anos, nossos padrões foram mudando – dependendo da idade e do desenvolvimento de nossos filhos, de nossos papéis vocacionais e de nosso envolvimento na igreja. No entanto, assim como anseio e preciso de tempo no início de cada dia para estar a sós com Deus e reunir forças para o dia à frente, também espero ansiosamente por essa ocasião semanal em que minha esposa e eu podemos juntos descansar e ser revigorados”. – David Bennett (EUA), Diretor associado global de colaboração e conteúdo
  • “Eu tiro uma soneca todos os dias e caminho à noite sob as estrelas para orar. O breve descanso para o meu corpo durante o dia e a pausa para orar ao ar livre, no escuro da noite, revigoram minha alma regularmente”. – E.D. Burns (EUA), Diretor de conteúdo

Recursos referentes ao descanso e ao dia de sábado

Recomendamos os seguintes recursos [em inglês] para aprender mais sobre o descanso e sobre o sábado: