Available in: English | Français | Português | Español |

Se sua aspiração fosse ver um número maior de árvores neste mundo, por onde você começaria? Certamente sua paixão, seu compromisso e seu investimento se voltariam para as mudas e os canteiros. As mudas precisariam ser escoradas por algum tempo enquanto ainda estivessem flexíveis e fosse possível endireitá-las.

Com essa imagem em mente, Stephen Mbogo, diretor regional do Movimento de Lausanne para a África de Língua Inglesa, Portuguesa e Espanhola (EPSA) e CEO da African Enterprise, estendeu aos líderes jovens e em desenvolvimento o convite para participarem dos encontros de Café da Manhã Nacional de Oração. Mbogo defende que encontros nacionais de oração durante o café da manhã sejam realizados em toda a África pois, por meio desses eventos que aproximam líderes jovens de outros líderes e políticos mais experientes, ele espera promover relacionamentos que se desenvolvam e amadureçam ao longo dos anos.

Jesus ensinou que liderança não é título, mas sim serviço, e para Mbogo, se essa postura em relação à liderança puder ser cultivada logo cedo, toda uma geração de líderes e políticos pode ser influenciada.


O Café da Manhã Nacional de Oração inaugural em Lusaka, Zambia.

O desejo de ver a oração na política

O movimento do Café da Manhã Nacional de Oração começou há 70 anos, quando o norueguês Abraham Vereide, o ex-presidente americano Dwight Eisenhower e o americano Douglas Coe perceberam a necessidade de mobilizar líderes políticos por meio da oração. Juntos, eles estabeleceram o Café da Manhã Nacional de Oração nos Estados Unidos.

O Café da Manhã Nacional de Oração é um evento anual que acontece nos Estados Unidos e permite que membros do congresso e outros líderes influentes se conectem e desenvolvam relacionamentos, apoiem uns aos outros, recebam conteúdo cristão relevante e orem juntos.

“São três os elementos que compõem o Café da Manhã Nacional de Oração: a pessoa de Jesus e seus ensinamentos, a amizade entre líderes e influenciadores mundiais e a oração”, afirma Carlton Deal, coordenador internacional do Café da Manhã Nacional de Oração na Europa. “O que distingue esse encontro de um café da manhã qualquer da igreja é o envolvimento de membros do parlamento”.

A maioria dos líderes que há muito tempo participa de encontros de Café da Manhã Nacional de Oração diria que a prioridade mais alta do evento é que o nome de Jesus seja exaltado.

Embora algumas pessoas que participem de um Café da Manhã Nacional de Oração talvez acreditem tratar-se de uma reunião inter-religiosa – e isso não está longe da verdade – esse evento não é, de forma alguma, um encontro “de várias crenças”. Em certa reunião, por exemplo, um judeu chamado Arthur Burns orou: “Querido Deus, oro para que o povo judeu em todo o mundo venha a conhecer Jesus. Querido Deus, oro para que todos os muçulmanos do mundo venham a conhecer Jesus. Querido Deus, oro para que todos os cristãos do mundo venham a conhecer Jesus. Querido Deus, oro para que todas as pessoas no mundo conheçam Jesus”.

Quando perguntaram a Jesus qual é o mandamento mais importante, ele respondeu dizendo: “‘Ame o Senhor, o seu Deus de todo o seu coração, de toda a sua alma e de todo o seu entendimento’. Este é o primeiro e maior mandamento. E o segundo é semelhante a ele: ‘Ame o seu próximo como a si mesmo’” (Mt 22.37-39). Seguir essas duas instruções centrais dadas por Jesus também contribui para tornar a condução do Café da Manhã Nacional de Oração uma tarefa tão desafiadora. Como esse encontro pode ser conduzido de forma que os participantes que não se autodenominam cristãos ainda se sintam honrados, respeitados e aceitos ao mesmo tempo que Jesus permanece sendo o foco central do evento?

O início do Café da Manhã Nacional de Oração na África

Em 1996, após o genocídio em Ruanda, o fundador da African Enterprise, Michael Cassidy, juntamente com o falecido arcebispo sul-africano Desmond Tutu, dirigiu-se àquele país para levar consolo à nação. No evento de encerramento, os líderes do governo se reuniram e oraram pelo país. Foi o início do movimento do Café da Manhã Nacional de Oração em Ruanda.

Hoje, Stephen Mbogo, um líder cristão e doutor em ciência política, atua como organizador e defensor da realização de encontros de Café da Manhã Nacional de Oração em outros países africanos.

O Café da Manhã Nacional de Oração oferece uma oportunidade para que leigos, empresários e clérigos se reúnam com membros do parlamento para encorajarem uns aos outros em oração e promover o chamado para a liderança.


Stephen Mbogo (o segundo à direta) com líderes jovens e sêniors da Zambia durante o 60º aniversário do African Enterprise ocorrido neste ano, que incluiu iniciativa de missões por toda Lusaka.

“O objetivo é ver os membros do parlamento se aproximarem de seus pares”, compartilha Mbogo. “Quando falo a políticos, eles podem pensar: ‘Bem, ele é um pregador’, mas ao ouvirem as palavras de seu próprio colega, um membro do parlamento, eles se sentem estimulados, pois sabem que partilham de uma experiência semelhante”.

Em 2003, o Quênia saía de um período de quase quarenta anos sob o governo de determinado partido político. A liberdade de expressão era muito restrita e muitos cristãos se perguntavam como poderiam se expressar e ser luz na escuridão.

“E começamos a perguntar a nós mesmos: Como podemos alcançar nossos líderes políticos? Como começar a aproximá-los para o trabalho colaborativo? Para a oração?” Eles descobriram que um grupo do parlamento fazia perguntas semelhantes, e da união desses dois grupos nasceu o Café da Manhã Nacional de Oração do Quênia, com reuniões anuais que acontecem há quase vinte anos. O Sudão do Sul, assim como outros países africanos, também experimentou os benefícios de um encontro anual para o Café da Manhã Nacional de Oração.

Artigo

Para um Momento Assim

Um político cristão leva esperança após o tufão Haiyan

Mais do que um café da manhã

O sonho de Mbogo é ver em toda a África a ação impactante de líderes africanos que foram impactados. “Se influenciarmos os líderes, influenciaremos nações inteiras”, declara.

Lemos em Provérbios 29: “Quando os justos florescem, o povo se alegra; quando os ímpios governam, o povo geme”. Mbogo conta que, da mesma forma, um provérbio conhecido na Etiópia diz: “Quando o líder salta, o povo começa a saltar, imitando o líder”.

“No Quênia”, continua Mbogo, “dizemos: ‘O peixe começa a feder pela cabeça’”. Os encontros de Café da Manhã Nacional de Oração tornaram-se uma maneira eficaz de influenciar líderes do continente africano, engajá-los na oração e assim impactar nações inteiras.

Isso não acontece apenas por meio dos eventos anuais de Café da Manhã Nacional de Oração, mas também dos estudos bíblicos regulares. “O objetivo é ver os membros do parlamento reunidos durante a semana para ler a Bíblia e dedicar um tempo à oração. O sonho é discipular os líderes da África para que possam ser movidos por princípios bíblicos. Esse é o meu fardo, e o de muitos outros ministérios que trabalham na África hoje”, afirma Mbogo.

Essa é a estratégia adotada por muitos países africanos, entre eles a Zâmbia, onde o Café da Manhã Nacional de Oração inaugural aconteceu em Lusaka, há poucas semanas. Mbogo teve o privilégio de sentar-se com membros do parlamento da Zâmbia, incluindo a atual vice-presidente, Mutale Nalumango, que determinou que o Gabinete da Zâmbia se reunisse regularmente para orar e estudar a Bíblia, e que houvesse reuniões anuais como o Café da Manhã Nacional de Oração. Ela está decidida a lutar por uma liderança que esteja acima de qualquer suspeita.

Líderes que vale a pena imitar

A ênfase de Stephen Mbogo e da African Enterprise na instrução de líderes jovens em escolas e universidades e o convite para que participem de encontros de Café da Manhã Nacional de Oração na África possibilitam a conexão entre esses líderes jovens e os líderes e políticos mais experientes. Dessa forma, os jovens na África podem ver que, embora ouçam sobre a irrefutável corrupção na liderança, há líderes no setor empresarial e no parlamento que constituem exemplos dignos de serem imitados.

“Essa iniciativa de mentoria de longo prazo significa que, no período de dez a doze anos, poderemos ver um jovem ou uma jovem que começou a ser instruído no início da vida escolar passar pela escola primária e secundária e, finalmente, alcançar uma posição na sociedade em que eles sejam guiados por valores e adotem uma postura de servo-líder”, afirma Mbogo.


O Fórum de Líderes Jovens foi uma adição recente ao Café da Manhã de Oração .

“É esse é o nosso sonho, e eu o vejo totalmente conectado ao movimento do Café da Manhã Nacional de Oração, onde procuramos desenvolver líderes que sejam guiados por valores e dotados de um coração de servo”.

“No momento, estamos trabalhando com dez escolas primárias, dez escolas secundárias e grupos de estudantes universitários em Juba, no Sudão do Sul”, conta Mbogo. “Através deste trabalho e dos encontros de Café da Manhã Nacional de Oração, cremos estar dando os primeiros passos para ver a mudança implementada no continente africano”.

Os encontros de Café da Manhã Nacional de Oração em todo o mundo estão desenvolvendo a mesma ênfase na mentoria e capacitação da próxima geração, conectando líderes jovens a líderes mais experientes e procurando inspirá-los com valores e liderança firmados na integridade.

Impactando a sociedade tendo em mente a próxima geração

Os encontros de Café da Manhã Nacional de Oração estão impactando políticos e líderes na esfera pública em todo o mundo e a igreja global aguarda ansiosamente o impacto positivo desse movimento nas gerações mais jovens à medida que se tornarem líderes e influenciadores globais de hoje e amanhã.

Os líderes políticos podem parecer muito distantes do cidadão comum, mas são indivíduos que muitas vezes se sentem isolados, sem apoio e enfrentam muitos dos mesmos desafios enfrentados por seus concidadãos.

Em 1Timóteo 2.1-3, Paulo escreve: “Antes de tudo, recomendo que se façam súplicas, orações, intercessões e ação de graças por todos os homens; pelos reis e por todos os que exercem autoridade, para que tenhamos uma vida tranquila e pacífica, com toda a piedade e dignidade. Isso é bom e agradável perante Deus, nosso Salvador”. O movimento do Café da Manhã Nacional de Oração na África oferece uma oportunidade única para que os líderes políticos recebam orações e orem por outros políticos, apresentando diante do trono da graça de Deus cada um deles, bem como sua área de influência.

O Movimento de Lausanne busca acelerar a missão global e ver o impacto do reino em todos os setores da sociedade, tendo em mente a próxima geração. O movimento do Café da Manhã Nacional de Oração na África destaca-se como uma das maneiras pelas quais vemos como a arena política pode beneficiar-se das oportunidades e facilitar a colaboração regional à luz de 2050, quando a geração que hoje tem menos de 20 anos ocupará papéis-chave de governo, liderança e influência.

Micaela Braithwaite ajuda a equipe de comunicação a relatar/narrar/descrever o que Deus tem feito em todo o mundo. Ela concluiu com honras sua graduação em teologia na Faculdade Teológica Batista da África do Sul, onde também ministrou um curso de línguas bíblicas. Ela e o marido moram em Joanesburgo, África do Sul.