Available in: English | Français | Português | Español |

Joel Edwards foi um ícone cristão britânico nascido na Jamaica. De imigrante transplantado da Jamaica que cresceu em uma igreja pentecostal jamaicana de Londres, ele ascendeu à vanguarda da liderança da comunidade evangélica no Reino Unido e destacou-se como evangélico. Posteriormente, como líder do Desafio Miqueias [Micah Challenge],[1] essa proeminência de liderança o projetou no cenário global. Por sua defesa dos pobres e desfavorecidos em todo o mundo, ele recebeu, em 2019, a Comenda do Império Britânico (CBE),[2] por sua Majestade, a rainha Elizabeth. Sua morte, em 30 de junho de 2021, provocou uma significativa manifestação de amor e afeto diante da grande perda sofrida pela comunidade cristã global.[3]

“Somos ‘entre muitos, um povo’” moldou a vida e liderança pública de Joel como “unificador” e construtor de pontes interculturais.

Primeiros anos

Joel cresceu no volátil ambiente de Kingston, capital da Jamaica. Filho de pais jamaicanos, tinha raízes firmemente plantadas naquele país. David Henry, amigo e colega próximo, pensa que nunca devemos subestimar o impacto da cultura da Jamaica na vida de Joel: “Somos ‘entre muitos, um povo’”.[4] Essa visão de mundo moldou a vida e liderança pública de Joel como “unificador” e construtor de pontes interculturais.

Embora tenha emigrado em 1960, aos oito anos de idade, partindo aos prantos do aeroporto de Kingston, Joel manteve um relacionamento próximo com a Jamaica ao longo de sua vida e para lá retornou diversas vezes como parte da diáspora jamaicana. Devon Dick, pastor batista e colunista de jornal, lembrou em 2003 que, quando a Aliança Evangélica do Reino Unido realizou um fórum no Alto Comissariado da Jamaica em Londres, tendo como convidados vários líderes da igreja jamaicana, Joel organizou uma reunião com altos funcionários do governo para discutir as polêmicas exigências para a imigração.[5] Em 2003, ele recebeu a Prime Minister’s Medal of Appreciation for Services to Jamaica [medalha do primeiro-ministro em agradecimento por serviços prestados à Jamaica] e, posteriormente, inspirou uma “campanha de perdão” em resposta aos assassinatos por vingança ocorridos no centro da cidade de Kingston. A campanha culminou em um culto religioso nacional, quando um acordo foi assinado pelos dois principais partidos políticos.

A influência da liderança de Joel abrangeu a diáspora africana e caribenha. Como líder da Rede Miqueias [Micah Network], ele viajava a Nova York para as reuniões anuais das Nações Unidas e, invariavelmente, pregava para a comunidade afro-caribenha na Bethany Church of the Nazarene, no Bronx.[6]

Liderança

Durante três décadas, Joel serviu à Aliança Evangélica do Reino Unido bem como à sua organização irmã, a Aliança Evangélica do Caribe Africano, em diversas posições de liderança. Em 1988, foi nomeado Secretário Geral da Aliança Evangélica das Índias Ocidentais (mais tarde Aliança Evangélica do Caribe Africano, ACEA), sucedendo o lendário guianês Philip Mohabir.[7] Nessa posição, ele ajudou a estabelecer uma ponte no relacionamento entre cristãos negros e brancos, construindo laços fortes e confiáveis. A partir de 1992, ele voltou a atenção para a Irlanda do Norte, Escócia e País de Gales como Diretor da Aliança Evangélica, até 1997, quando foi eleito para o cargo de Diretor Geral, o primeiro líder pentecostal negro a conduzir a longeva organização britânica. Como Diretor Geral (1997–2007), ele foi exemplo de uma liderança ousada, corajosa e enérgica para mais de 7 mil igrejas e organizações do Reino Unido, envolvendo cerca de 2 milhões de cristãos na causa do evangelho e engajando a sociedade em amor e unidade.[8]

Ele ajudou a estabelecer uma ponte no relacionamento entre cristãos negros e brancos, construindo laços fortes e confiáveis.


Courtesy of the Evangelical Alliance

Como líder público, ele se destacou em várias frentes. A voz dos cristãos evangélicos no Reino Unido foi extremamente fortalecida na mídia pública, na igreja e nos corredores do poder em Westminster. Como Presidente do Conselho de Mídia da Igreja da Inglaterra, juntamente com o então Arcebispo de Canterbury, Dr. Rowan Williams, e outros líderes da igreja, ele expressou à BBC sua inquietação a respeito da crescente marginalização do cristianismo em relação a outras religiões no ambiente de trabalho, bem como em sua programação pública. Ele nunca teve receio de falar abertamente sobre questões que afetavam a comunidade cristã.

Várias agências governamentais o consultavam, incluindo o serviço de liberdade condicional, a Comissão sobre Igualdade e Direitos Humanos, o Conselho Consultivo sobre Direitos Humanos e Liberdade Religiosa com o Ministério das Relações Exteriores e da Comunidade Britânica e o Grupo Consultivo Independente da Polícia Metropolitana (IAG).

Sua nomeação como delegado da Comissão para a Igualdade e Direitos Humanos (EHRC) em 2007 foi vigorosamente criticada e contestada pela National Secular Society e por outros, por causa de suas crenças e convicções religiosas.[9] A nomeação, no entanto, foi defendida pelo Secretário de Estado e pela Comissão. Seu papel de estadista, diplomático e construtor de pontes em uma sociedade que se tornara cada vez mais diversa, extremamente multicultural, fragmentada e às vezes polarizada, era respeitado. O ex-primeiro-ministro britânico Tony Blair o nomeou para o conselho de sua nova Fundação, The Tony Blair Faith Foundation, visando promover o respeito e a compreensão pelas principais religiões do mundo e destacar a fé como uma força poderosa para o bem na sociedade moderna. Joel Edwards personificou esse princípio.

Como líder evangélico engajado nas questões da sociedade, ele dizia que a igreja tem o direito de ser ouvida.

Ele era muito procurado pela imprensa britânica. Em suas frequentes participações no programa Thought for The Day, da BBC Radio 4, o público tinha acesso às suas opiniões – oferecidas por uma perspectiva de fé – a respeito de uma série de questões. Como líder evangélico engajado nas questões da sociedade, ele dizia que a igreja tem o direito de ser ouvida, não por serem perfeitas as pessoas que nela estão, mas simplesmente porque, na busca por um mundo melhor, ela tem sido mais duradoura e abnegada do que qualquer filosofia política ou personalidade corporativa. “As placas de sinalização podem estar empoeiradas, mas, de modo geral, elas ainda apontam na direção certa”.[10]

Em 2001, recebeu a rara honra de ser nomeado Prebendário (Cônego Honorário) da St Paul’s Cathedral, um grande feito para um clérigo pentecostal não pertencente à Igreja anglicana.

Em 2008, na Assembleia Geral da Aliança Evangélica Mundial em Pattaya, Tailândia, Joel Edwards foi comissionado para o novo cargo de Diretor Internacional do Desafio Miqueias. Como diretor (2008–2015), buscou de forma ativa ajudar governos, igrejas e outras ONGs a alcançar os objetivos de desenvolvimento do milênio das Nações Unidas (ODM) que haviam sido assinados por todos os estados-membros da ONU.[11]


An Agenda for Change: A Global Call for Spiritual and Social Transformation by Joel Edwards

Legado e impacto global

Joel deixou um duradouro legado de liderança para a igreja global. Suas publicações, entre elas An Agenda for Change: A Global Call for Spiritual and Social Transformation,[12] [Pauta para a mudança: chamada global para a transformação espiritual e social], são incentivos para a ação evangélica nos próximos anos. Ele defendia que se apresentasse Cristo com credibilidade ao século 21 e lutava de forma veemente pela reabilitação do termo “evangélico”.[13] David Muir, seu amigo próximo e colega de longa data, observa que “no centro de seu ministério estavam três grandes ideias: tornar Cristo crível em praça pública, mediar o evangelho como boa nova e unir os evangélicos para transformar a sociedade”.[14] Joel também foi coautor (ao lado de David Killingray) de Black Voices: The Shaping of our Christian Experience [Vozes negras: a formação de nossa experiência cristã],[15] com histórias de negros britânicos cuja fé, sacrifício e serviço contribuíram para a construção da Grã-Bretanha moderna, mas cuja contribuição é pouco conhecida e amplamente esquecida. Suas histórias, que formam parte de um tecido rico e fascinante da história britânica moderna, foram predominantemente ignoradas. Joel frisou esse ponto em um culto na Abadia de Westminster em 2018 que marcava o 70º aniversário da chegada do navio HMS Windrush trazendo à Grã-Bretanha centenas de pessoas das Índias Ocidentais para ajudar na reconstrução pós-guerra.

Joel Edwards foi, de fato, um dos líderes missionários que se destacaram no século 21.

O legado de liderança de Joel Edwards ilustra as possibilidades e o valor das igrejas de imigrantes na revitalização do cristianismo em ambientes cristãos mais antigos.[16] O meio em que sua liderança cristã foi formada e exercida, incluindo seu treinamento teológico formal na London School of Theology, permitiu-lhe abraçar plenamente uma Teologia da Missão como Missão Integral.[17] Como expressou Mike Talbot, presidente da Aliança Evangélica do Reino Unido: “Joel é um estadista evangélico que contribuiu de forma significativa para o testemunho da igreja neste país. Ele é respeitado em toda a comunidade cristã e além dela, e amado por sua benevolência e paixão pelas boas novas de Cristo”.[18]

Joel Edwards foi, de fato, um dos líderes missionários que se destacaram no século 21. A Caribbean Graduate School of Theology concedeu-lhe o título de Doutor em Divindade (honoris causa) em 2006 e, como presidente (2008-2016), eu tive o orgulho de reconhecer sua notável contribuição para a missão global, nomeando-o Membro Emérito da Escola de Graduação. Devon Dick escreveu: “Joel usou seus 15 anos como locutor freelance na BBC e 10 anos de liderança no Desafio Miqueias Internacional (Micah Challenge International)… para promover o bem-estar de toda a raça humana” – uma frase extraída do juramento de lealdade à Jamaica.[19]

Notas Finais

  1. O Desafio Miqueias, estabelecido em 2008, foi uma ramificação da Micah Global Network [Rede Global Miqueias], estabelecida em 1999 como um movimento missionário global com enfoque na missão cristã como Missão Integral. https://www.micahnetwork.org/.
  2. Nota da Editora: Commander of the Order of the British Empire
  3. Marcia Dixon, “Community mourns Rev Joel Edwards”, The Gleaner, 10/julho/2021, https://jamaica-gleaner.com/article/news/20210710/community-mourns-rev-joel-edwards; Ed Thornton, “Archbishops’ sad farewell to Joel Edwards”, Church Times, 1/julho/2021, https://www.churchtimes.co.uk/articles/2021/2-july/news/uk/archbishops-sad-farewell-to-joel-edwards.
  4. Entrevista pelo autor, 5 agosto 2021, citando o lema nacional da Jamaica.
  5. Devon Dick, “Letter of the Day | Joel Edwards – A friend of Jamaica”, The Gleaner, 6/julho/2021, https://jamaica-gleaner.com/article/letters/20210706/letter-day-joel-edwards-friend-jamaica.
  6. Jamaican Bishop Sam Vassel relembrou em uma entrevista pelo autor, 1/julho/2021.
  7. Phillip Mohabir, “An Apostle to Britain”, Israelolofinjana, 3/setembro/2012, https://israelolofinjana.wordpress.com/2012/09/03/philip-mohabir-an-apostle-to-britain/.
  8. “Rev Dr Joel Edwards CBE: his lasting legacy”, Evangelical Alliance, 30/junho/2021, https://www.eauk.org/news-and-views/rev-dr-joel-edwards-cbe-his-lasting-legacy.
  9. Ruth Gledhill, “Gays reject equality promoter, Dr Joel Edwards”, The Times, 21/janeiro/2008 https://www.thetimes.co.uk/article/gays-reject-equality-promoter-dr-joel-edwards-wswnqc86t56; Hilary White, “Outrage Over Appointment of Evangelical to British Human Rights Body”, LIFESITE, 19/novembro/2007, https://www.lifesitenews.com/news/outrage-over-appointment-of-evangelical-to-british-human-rights-body/.
  10. Joel Edwards, “The Letter of Joel Edwards to the UK Church”, Premier Christianity, 14/setembro/2015, https://www.premierchristianity.com/home/the-letter-of-joel-edwards-to-the-uk-church/3372.article.
  11. O Desafio Miquéias foi uma campanha global fundamentada na fé, que começou no início deste novo milênio para mobilizar o apoio público para tirar milhões de seres humanos da fome e da pobreza extrema. Propunha que os pobres, como todos os outros seres humanos, são feitos à imagem de Deus e merecem viver na dignidade do que significa ser verdadeiramente humano. Esse projeto teve seu auge em 2015. https://research.un.org/en/docs/dev/2000-2015
  12. Joel Edwards, An Agenda for Change: A Global Call for Spiritual and Social Transformation (Grand Rapids: Zondervan, 2008).
  13. Joel Edwards, “Rehabilitating ‘Evangelical’ and Pursuing Spiritual and Social Transformation”, https://vimeo.com/215482080.
  14. R David Muir, “A tribute to my friend, Joel Edwards”, Christianity Today, 8/julho/2021, https://www.christiantoday.com/article/a.tribute.to.my.friend.joel.edwards/137072.htm.
  15. Joel Edwards e David Killingray, Black Voices: The Shaping of our Christian Experience (UK: IVP, 2007).
  16. Nota da Editora: Leia o artigo de Sam George intitulado “Será que Deus está renovando a Europa através dos refugiados?” na edição de maio/2017 da Análise Global de Lausanne, https://lausanne.org/pt-br/recursos-multimidia-pt-br/agl-pt-br/2017-05-pt-br/sera-que-deus-esta-renovando-a-europa-atraves-dos-refugiados.
  17. Os defensores da Missão Integral foram teólogos e missiólogos latino-americanos, especialmente C. René Padilla, presidente fundador da Rede Miqueias. Joel ratificou a missão cristã envolvendo uma relação integral de palavra e ação. Seu ministério demonstrou claramente uma convicção apaixonada a respeito do papel visível e dinâmico da igreja na sociedade, especialmente em praça pública.
  18. “Evangelical Alliance leader to step down after 11 years” Christianity Today, 8/março/2008 https://www.christiantoday.com/article/evangelical.alliance.leader.to.step.down.after.11.years/17235.htm.
  19. Devon Dick, “Letter of the Day | Joel Edwards – A friend of Jamaica”, The Gleaner, 6/julho/2021, https://jamaica-gleaner.com/article/letters/20210706/letter-day-joel-edwards-friend-jamaica.

Las Newman é Diretor Associado Global para Regiões no Movimento de Lausanne. Anteriormente, atuou como Diretor Regional para o Caribe. Las também organizou e conduziu a primeira Consulta Global Lausanne sobre o cuidado da criação e o evangelho na Jamaica, em 2012. Antes disso, foi secretário geral associado da International Fellowship of Evangelical Students (IFES) em Oxford, Inglaterra, bem como presidente da Escola de Pós-Graduação em Teologia do Caribe. Ele mora em Kingston, Jamaica.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

*