Disponível em: English (Inglês) | Français (Francês) | Português | Español (Espanhol) |

Nosso foco nesta edição são os efeitos de longo prazo da COVID-19 que nos afetam como indivíduos, igreja e sociedade. Os artigos nos oferecem múltiplas perspectivas – históricas, sociais, políticas, econômicas, ambientais e teológicas – da pandemia COVID-19.

Começamos com Covid-19 e a busca de paralelos históricos por Rory Macleod e David Taylor. Rory, diretor geral da Objective Analysis, e David, ex-editor da Análise Global de Lausanne, buscam encontrar lições contemporâneas sobre a COVID-19 nos eventos históricos mais amplos do período entre 1914 e 1945 que incluem as duas guerras mundiais. Em especial, analisamos os impactos sociais, econômicos e ambientais desses eventos semelhantes àqueles causados pela COVID-19. Há muitas incertezas resultantes de calamidades desse tipo, mas uma coisa é certa: o mundo pós-coronavírus será “diferente em aspetos muito importantes”. Os autores desafiam os líderes cristãos a “organizarem seu pensamento sobre um cenário com características importantes que permanecerão em grande parte desconhecidas por algum tempo”, e “começarem a fazer planos prudentes para abordar contextos alterados para suas próprias operações”.

Apesar de reconhecermos que há muitos desafios e oportunidades para a missão na era intra e inter pandêmica, a compreensão de tendências política globais, econômicas, ambientais e sociais irá esclarecer o “novo normal” da vida durante esse período. Em seu artigo Sedentos por boas novas em tempos de pandemia, Carol Kingston-Smith, uma palestrante freelancer, escritora, mentora e coautora da jusTice Initiative, nos guia através dessas tendências e sugere três dons essenciais que a igreja em missão pode oferecer como resposta “para servir o bem comum com fé, esperança e amor em um mundo intra e interpandêmico”: O dom da presença fiel e “enraizada”, o dom do “amor e equilíbrio”, e o dom da colaboração.

“A pandemia da COVID-19 tem encorajado os líderes de igrejas ao redor do mundo a buscarem respostas sobre a vida da igreja. Quando sairmos da crise e entrarmos no ‘novo normal’, as congregações deverão repensar o discipulado, missões e igreja? Portanto, a experiência das “novas expressões” oferece recursos para essa autoavaliação”, escreve Michael Moynagh, um teólogo líder da igreja Anglicana que se especializa nas novas expressões. Em Comunidades cristãs para todos os contextos, além de estabelecer a base teológica para as “novas expressões”, Michael compartilha alguns modelos práticos para sua abordagem integrada à missão. Ele conclui que as “novas expressões” articulam a tradição repassada por congregações mais antigas “de formas inovadoras para os contextos não-alcançados”.

Repensando o discipulado e missão é o que Israel Oluwole Olofinjana desafia a igreja a fazer, especialmente a igreja ocidental, no contexto do sofrimento global. Israel é o diretor fundado do Centre for Missionaries from the Majority World e um ministro da igreja Batista. Em seu artigo, Descolonizando a missão, ele argumenta que “as pessoas dos países em desenvolvimento parecem sofrer mais devido às questões sistêmicas e estruturais do nosso mundo injusto”, a igreja mundial pode aprender com os cristãos de países em desenvolvimento e suas teologias sobre modelos de discipulado integral “enraizadas no sofrimento e sacrifício causados pela desigualdade econômica.” Ele pergunta: “O que poderia ser mais emocionante do que ouvir as vozes dos teólogos africanos e latino-americanos em nossas apologéticas ocidentais, conversas missionárias na igreja e no treinamento de discipulado integral?”, provocando o pensamento.

J. Kwabena Asamoah-Gyadu, professor de cristianismo africano e presidente da Trinity Theological Seminary, em Gana, reflete sobre as celebrações em 2020 de alguns dos eventos mais importantes do calendário cristão: A Crucificação, Ressureição, Ascenção e Pentecoste. Eles foram celebrados “no ápice da pandemia da COVID-19”. O autor nos convida a participar de sua jornada bíblica através desses eventos no artigo O calendário cristão e a COVID-19 para descobrirmos semelhanças no contexto e ânimos entre esses eventos históricos e a pandemia atual. Em todas essas situações, somos confrontados pelo “enigma do mal”, sofrimento e dor na vida “contra a realidade de um Deus compassivo”. Nossa esperança está no poder soberano de Deus, pois “na história da salvação de Deus, o modo de isolamento/quarentena nunca é uma condição permanente porque o mal nunca tem a última palavra enquanto ele reinar”, conclui Kwabena.

Nós oramos para que essa edição nos ajude a discernir o liderar do Espírito nesse “novo normal”.

A Análise Global de Lausanne está disponível também em inglês, francês e espanhol. Envie suas perguntas e comentários sobre esta edição para [email protected]. A próxima edição será lançada em novembro.

Loun Ling serve como Editora da Análise Global de Lausanne. Ela possui experiência como Professora de Missão na Redcliffe College (Reino Unido), Diretora de Treinamento da AsiaCMS (Malásia), Diretora da MSI Professional Services (Malásia), Mobilizadora de missões com a OMF e Pastora na Grace Singapore Chinese Church (Cingapura).

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*